do dessassossego

As coisas são a matéria para os meus sonhos; por isso aplico uma atenção distraidamente sobreatenta a certos detalhes do Exterior .

desass1.gif

Se um homem escreve bem só quando está bêbado, dir-lhe-ei: embebede-se. E se ele me disser que o seu fígado sofre com isso respondo: o que é o seu fígado? É uma coisa morta que vive enquanto você vive, e os poemas que escrever vivem sem enquanto.

Bernardo Soares

Um monólogo interpretado por dois personagens: um actor e um músico. Um Actor (Carlos Paulo), como há muito não via, representa seis personagens que compõem o caleidoscópio de vivências do autor dos autores; entre eles o Escriturário , a Criança , o Mendigo , o Palestrante , Homem/Mulher e o Revoltado. Uma peça irrepreensível. E que de facto deixa, no final, o tal dessassossego. Em nós.

Infelizmente um episódio triste interrompeu o espectáculo quando o actor teve de despir o personagem – e o actor – e pedir à «histérica ao fundo», que se escondia no escuro fácil e perturbava os presentes, para se retirar. Digamos que levou o título à letra. Mas não à de Pessoa, à do teatro. Foi, com certeza, outra letra qualquer. A histérica, que era plural, não ousou retirar-se. O actor prosseguiu, mesmo na mágoa. E nunca vi um aplauso gigante em surdina explodir assim. 
Advertisements

About Filipa Queiroz

Jornalista. Nascida em Coimbra, criada em Braga e a viver em Macau.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: