Story of a lonely song

Eleonor Rigby – Ray Charles

Foi escrita por Paul McCartney e lançada pelos Beatles em 1966. Incluída no álbum Revolver, antes de ser Eleanor Rigby chegou a ser Miss Daisy Hawkins, e nem o próprio McCartney sabe explicar porquê.  A mudança foi inspirada na actriz Eleanor Bron, que actuou com o quarteto britânico no filme Help!. Rigby disse que foi buscar o estranho apelido à loja Bristol, Rigby Evens Ltd. Wine & Spirit Shippers. Soou bem. Mas o nome da canção que seria cantada por dezenas de artistas depois deles, entre eles Aretha Franklin, Tony Bennet, Joan Baez e Caetano Veloso, tem outra história. Tinha de ter.

É que, em 1980, foi encontrado um túmulo no cemitério St. Peter Parish Church em Liverpool com o nome de Eleanor Rigby registado na pedra. Poucos metros ao lado, o de um tal senhor McKenzie. Podia ser uma rebuscada coincidência não costumassem McCartney e Lennon frequentar a área para tomar banhos de sol enquanto jovens. Paul admitiu que, de facto, a letra pode ter sido fruto do inconsciente. A verdadeira Eleanor Rigby nasceu em 1895 e morreu dia 10 de Outubro de 1939. Exactamente um ano antes, porque foi bissexto, antes de Lennon nascer, a 9 de Outubro de 1940.

Ode às pessoas solitárias ou referência à realidade pós-guerra da Grã Bretanha como ilustra George Dunning em Yellow Submarine? O certo é que nenhum dos Beatles sequer toca em Eleanor Rigby e a batida não é pop, nem fala de amor. Inspiração divina? Mito? Epifânia? Fica a canção, beleza pura do primeiro ao último acorde.

Foi escrita por Paul McCartney e lançada pelos Beatles em 1966 no álbum Revolver. Antes de ser Eleanor Rigby esteve era Miss Daisy Hawkins, e nem o próprio McCartney sabe explicar porquê.  Mudou inspirado na actriz Eleanor Bron, que actuou ao lado do quarteto britânico no filme Help!. Rigby diz que foi buscar à loja Bristol, Rigby & Evens Ltd. Wine & Spirit Shippers. Porque soava bem. Mas o nome da canção que seria cantada por dezenas de artistas depois deles, entre eles Aretha Franklin, Tony Bennet, Joan Baez e Caetano Veloso, tem outra história. É que em 1908 foi encontrado um túmulo no cemitério St. Peter Parish Church em Liverpoll com o nome de Eleanor Rigby escrito. Poucos metros ao lado, o de um tal senhor McKenzie. Podia ser uma rebuscada coincidência não costumassem McCartney e Lennon frequentar a área para tomar banhos de sol enquanto jovens. Paul admitiu que a coincidência entre a realidade e a letra podia ser furto do inconsciente. A verdadeira Eleanor Rigby nasceu em 1895 e morreu dia 10 de Outubro de 1939, com 44 anos. Exactamente um ano (porque foi ano bissexto) antes de Lennon nascer. Dia 9 de Outubro de 1940. Ode às pessoas solitárias? O certo é que nenhum dos Beatles toca os seus usuais instrumentos em Eleanor Rigby e a batida não é pop, nem fala de amor. Mito? Lenda? Fica a canção, beleza pura do primeiro ao último acorde.
Advertisements

About Filipa Queiroz

Jornalista. Nascida em Coimbra, criada em Braga e a viver em Macau.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: