Aulas de Chinês – Lição II

Pinyin

‘Pin’ significa soletração e ‘yin’ quer dizer som. É através deste sistema de romanização que é possível transcrever no alfabeto latino o dialecto mandarim padrão da língua chinesa. Foi aprovado em 1958 e adoptado em 1979 pelo governo da República Popular da China, facilitando não só a aprendizagem, mas também o entendimento entre chineses (que têm milhares de dialectos), bem como se tornou ferramenta essencial para a digitação de textos da língua chinesa em computadores.

Os caracteres fazem assim parte de outro campeonato que não o de um curso básico da língua. Aprender a ler caracteres só tornaria mais complicado algo que já de si é altamente complexo.

É que além das diferentes pronúncias do alfabeto (p.ex. ‘q’ lê-se ‘tchí’); ou as pronúncias surdas recorrendo quase somente à aspiração, sem vibração das cordas vocais,  há ainda o pesadelo chamado tons. São eles os malvados responsáveis por um aprendiz de mandarim dizer por exemplo “Ma”, para se referir à sua santa mãezinha e, em vez disso, diz cavalo. As palavras escrevem-se da mesma forma, mas o ‘a’ diz-se de forma diferente. Sendo que o mandarim tem 4 tons diferentes. O cantonês pode ter até 9.

O caos, portanto.

Advertisements

About Filipa Queiroz

Jornalista. Nascida em Coimbra, criada em Braga e a viver em Macau.

One comment

  1. Helena Gonçalves

    Coitadinha da minha menina! Deixa lá mais uma “língua” para o curriculum… Beijinhos

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: